Como Limpar uma Piscina Verde


Saiba como tratar uma piscina verde nesse guia elaborado pela Piscina Fácil. Caso surja alguma dúvida, é só deixar um comentário na
janela da parte inferior da página que teremos prazer em responder.




Em nosso guia abordaremos uma situação muito comum quando uma piscina fica sem tratamento durante várias semanas, e na qual, a melhor solução é realizarmos uma limpeza de choque. A segunda alternativa seria trocar toda a água da piscina, o que seria mais caro e colocaria sua estrutura em risco.
Nesta situação a piscina possui uma película verde e escorregadia em toda sua superfície (formada por algas e bactérias) e a cor de sua água varia de verde claro a verde escuro. É importante verificar se anteriormente não foram aplicados produtos em excesso, principalmente algicidas e clarificantes. Caso esses produtos tenham sido aplicados de forma exagerada, seus resíduos poderão dificultar o tratamento e impedir a decantação das partículas de sujeira.




Primeiro Passo


Em uma piscina verde, devemos primeiramente realizar a limpeza física de toda a sujeira grosseira que se encontra em seu interior. Normalmente esta 
sujeira é composta por algas, folhas em decomposição e outros materiais orgânicos e inorgânicos que contribuem para o desenvolvimento de ainda 
mais algas. É totalmente inadequado aplicarmos cloro antes realizarmos o tratamento físico, pois, fora o desperdício do produto, formariam-se 
substâncias tóxicas na água devido a sua reação com o material orgânico. Tais substâncias são denominadas trihalometanos e são comprovadamente cancerígenas.

O procedimento correto é retirar manualmente o máximo de folhas e detritos orgânicos que pudermos com o auxílio da peneira acoplada a haste de alumínio. Essa é uma tarefa de suma importância a fim de evitarmos o constante entupimento do aspirador e da bomba quando iniciarmos o processo de aspiração, assim como, minimizarmos a formação de trihalometanos.

Quando estivermos peneirando as folhas e detritos acumulados no fundo da piscina, tornamos a água ainda mais turva. Mesmo que isso ocorra, devemos prosseguir com a peneiração, ainda que não se tenha uma boa visibilidade do fundo, até percebermos que diminuímos bastante a quantidade de detritos orgânicos depositados.




Segundo Passo

Agora, devemos escovar toda a superfície da piscina, com o a escova conectada a haste metálica, para soltar as algas que estão aderidas. Essa é 
igualmente à peneiração, uma tarefa importantíssima. Se desejamos que a piscina fique limpa rapidamente, devemos escova-la com muito cuidado 
para não esquecermos de nenhuma parte.




Terceiro Passo

Correção da alcalinidade da piscina para faixa entre 80 e 120 PPM e pH para a faixa entre 7,2 e 7,8.

O correto é corrigirmos primeiro a alcalinidade total da piscina para depois corrigirmos o pH uma vez que é a alcalinidade da água que torna o pH menos sensível à variações. Ou seja, se corrigirmos primeiro o pH, ao aplicarmos qualquer produto químico, como o cloro, uma mudança acentuada no pH da piscina será desencadeada. Sendo assim, é melhor primeiro corrigirmos a alcalinidade total da piscina, já que depois que a alcalinidade estiver ajustada, dificilmente o pH irá sair da faixa ideal devido a ação de um produto químico ou algum outro fator.

Então, primeiro vamos analisar a alcalinidade da piscina com o auxílio do kit colorimétrico ou da fita teste. Se seu resultado der menos de 100 PPM, 
devemos utilizar o Elevador de Alcalinidade, também conhecido como pH Estável, na quantidade indicada no rótulo do produto para eleva-la. Caso a alcalinidade esteja muito elevada, acima de 150 PPM, devemos utilizar um produto normalmente denominado de Redutor de Alcalinidade para baixa-la.

Após a aplicação do Elevador de Alcalinidade, devemos aguardar no mínimo 6 horas para que a alcalinidade se estabilize. Aí sim, devemos medir o pH 
para corrigi-lo. Para elevar o pH utiliza-se o Elevador de pH, também conhecido como pH Mais ou Barrilha, e para reduzir devemos utilizar o produto 
chamado Redutor de pH.




Quarto Passo

Hora de decantar toda a sujeira. Para isso, devemos utilizar algum clarificante de boa procedência, usando a diluição indicada no rótulo.

Logo após aplicar o clarificante, vem o "truque do piscineiro": Mexa durante cerca de 3 minutos toda a água da piscina com o maior vigor possível
(utilize a haste metálica para isso). Isso ajudará as moléculas de policloreto de alumínio, contidas no produto, encontrarem alguma partícula de 
sujeira e iniciarem o processo de clarificação da água por meio da floculação (formação de flocos). Ligarmos a bomba com o filtro na posição recircular
durante uns 30 minutos também ajudará a movimentar a água. Após, devemos desligar a bomba e deixarmos o processo de decantação ocorrer por
umas 12 horas (uma noite) com o motor desligado.


Quinto Passo




No dia seguinte, se tudo ocorreu corretamente, a piscina estará com sua água quase transparente e com bastante sujeira acumulada no fundo. É chegada a hora da aspiração!

Já que esse é um caso emergencial, iremos aspirar a piscina drenando, ou seja, jogando a água aspirada para o esgoto. Para isso devemos deixar apenas o registro de aspiração e o de esgoto abertos . Os registros de retorno, skimmer e ralo de fundo devem permanecer fechados.

Devemos acoplar o aspirador à haste metálica, a mangueira ao aspirador e colocarmos na água com cuidado para não levantar a sujeira que se encontra depositada no fundo da piscina. Tiramos o ar da mangueira afundando a mesma em toda sua extensão e permitindo que as bolhas de ar saiam pela parte final, a qual será acoplada ao bocal de aspiração. Pronto, agora basta ligarmos a bomba e aspirarmos cuidadosamente todo o fundo da piscina com o filtro na posição drenar.


  


Durante esse processo, dependendo da quantidade de sujeira, perceberemos que a força da aspiração enfraquece. Para resolver esse problema, temos que parar a aspiração, desligando a bomba e fechando o registro de aspiração, para procederemos a limpeza da cestinha de pré-filtro. Também é bom visualizarmos a parte inferior do aspirador a fim de removermos qualquer detrito preso à entrada da mangueira.




Sexto Passo

Bom, terminada a aspiração, a maior parte da sujeira foi removida. Agora sim é a hora de clorarmos a piscina e assim sanitizarmos a água, ou seja, eliminarmos os organismos nocivos a nossa saúde. Colocaremos uma dosagem de choque de aproximadamente 10 g/mᶟ de cloro espalhados por toda a superfície da piscina.




Sétimo Passo

Devemos limpar toda a linha de borda na altura da superfície de água com o auxílio de uma esponja de lavar louça e um detergente especial para piscinas chamado de Limpa-Bordas.



Oitavo Passo


Neste momento a piscina já está praticamente pronta para uso, pois já a limpamos e sanitizamos a água. Porém, antes de liberarmos seu uso, devemos
medir novamente a alcalinidade e corrigi-la se necessário. Da mesma forma, devemos medir o pH e corrigi-lo caso seja necessário.

Por último, deixamos o motor ligado com os registros de aspiração, skimmer, ralo de fundo e retorno abertos e o registro de esgoto fechado. Pronto, agora a piscina poderá ser liberada para uso assim que o cloro, ao analisarmos com kit colorimétrico, marcar entre 0,5 e 5 PPM. Isso provavelmente ocorrerá no dia seguinte.














Proibida a reprodução sem autorização prévia.